Crise na Segurança Pública: O Mundo Fantasioso do Ministério Público

seguranca-publica

Enquanto o estado do Espírito Santo vive o drama da greve da polícia militar do estado, que já acarretou a morte de mais de cem pessoas, além de saques ao comércio e toda uma onda de violência sem precedentes no Estado, os nefelibáticos integrantes do Ministério Público Federal do Estado estão preocupados em saber quem vai pagar a conta do envio de tropas das forças armadas para o estado. Segundo informa o Portal G1, o MPF-ES enviou solicitação formal ao Ministério da Defesa pedindo informações sobre  o número de contingentes enviados ao estado e os custos envolvidos, para tratar de ressarcimento aos cofres da União, nos termos previstos no Código Civil, caso se constate prejuízo em decorrência de ilicitude.

É evidente que é preciso zelar pela forma com que os recursos públicos são usados. Mas no momento em que a população sequer enterrou seus mortos diante do ambiente de barbárie em que se encontra o estado, o Ministério Público faria um serviço muito melhor à população (justificando inclusive os excelentes salários de seus integrantes, que em nada se comparam aos salários miseráveis dos policiais) se o órgão usasse seu inegável poder de pressão, de lobby e mesmo de intimidação para ajudar a encontrar uma solução para o impasse entre polícia e governo do estado, impasse esse que está custando a vida de pessoas inocentes.

É inacreditável que em uma situação em que ocorre uma flagrante deterioração do tecido social da sociedade capixaba, deterioração essa que é o sonho de todo comunista, o órgão encarregado pelo texto constitucional de supostamente fiscalizar o cumprimento da lei, se ocupe de uma formalidade que pode ser tratada em um segundo momento. O que o Ministério Público deveria se ocupar, no âmbito de suas incumbências legais, era de procedimentos junto aos poderes (ainda) constituídos para o restabelecimento da ordem e da segurança para a proteção da vida dos capixabas. É por atitudes como essa que parcela expressiva da opinião pública informada tem o absoluto desprezo por esse órgão que forma a elite do estamento burocrático.

#CriticaNacional #TrueNews


 

Anúncios

3 comentários sobre “Crise na Segurança Pública: O Mundo Fantasioso do Ministério Público

  1. E quem vai pagar pelo envio de policiais, exército e a famigerada guarda nacional aos presídios.
    Quem vai ressarcer os danos gerados nos presídios.
    Quem vai pagar pela invasão nas escolas e universidades do país.

    O país é uma piada e de mal gosto.

    Curtir

  2. Precisamos falar sobre o Kevin

    A Mela Jato segue a pleno vapor! É só atentar para a movimentação recente de FHC, Temer, Lula, Gilmar Mendes e Aécio Neves, entre outros, as eleições de Rodrigo Maia, Eunício de Oliveira e Edson Lobão para cargos que são chaves no Congresso, os artiguetes de colunistas “chapa-branca”, como Reinaldo Azevedo, e o posicionamento de alguns jornalões, para que se tenha uma ideia do tamanho da frente ampla que a bandalha política em polvorosa mobilizou na “Mela”, antes e depois da homologação da delação “do fim do mundo”.

    Reinaldo (ou Tucanaldo) Azevedo, – o nosso Kevin -, parece hoje, depois de quatro empregos midiáticos, um colunista bastante identificado com o establishment político acuado pela operação anticorrupção que salvou o Brasil – por enquanto, pelo menos! -, da revolução bolivariana. Ele é, guardando as devidas ressalvas e conversões, a Marilena Chauí dos tucanos. Como tal, tornou-se um colunista bastante citado pelo famigerado “247”, pela notória afinidade de suas teses com as que são defendidas por esse blog sujo, principalmente no que diz respeito à contestação da Lava Jato.

    Para quem ainda não dimensionou bem a fragorosa derrocada desse colunista que fez carreira combatendo o PT (no que foi muito bem, aliás!), seria bom dar uma olhadela no que ele escreveu hoje na esquerdista Folha de São Paulo: “Lava Jato vira portal da impunidade para bandido dedo-duro e criativo”. Além de afirmar, do alto da sua autoproclamada sapiência jurídica, que a Lava Jato, pasmem!, puniu menos, até agora, do que o STF de Gilmar Mendes, Lewandóvsky, Tóffoli e afins, ainda solta os cachorros sobre aqueles que ousam criticar os conchavos que o tucaníssimo Mendes vem capitaneando, ao que parece, no Planalto e na planície, com políticos interessados em fazer prosperar a Mela Jato.

    .É, minha gente, o rottweiler que investia furiosamente sobre os políticos petistas quando estes eram os únicos que despontavam nas delações premiadas, tornou-se manso como um poodlezinho de madame quando as delações passaram a envolver os tucanos. Ou melhor, o rottweillwer continua vivo e ativo, sim, mas só para atacar, agora, o Moro, o Dellagnol e a força-tarefa toda da Lava Jato.

    Ouçam o que eu estou dizendo, antes que seja tarde demais: precisamos, urgentemente, falar sobre o Kevin.

    P.S.: Quem viu o “Kevin” combatendo o PT, jamais poderia imaginar no que ele vem se transformando desde então.

    Curtir

Comentário ao artigo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s