Atentado Contra Mesquita de Quebec: Novas Facetas da Guerra Política

282


O atentado ocorrido no fim de semana contra uma mesquita na cidade de Quebec, no Canadá, teve novos desdobramentos. Ao contrário do que foi amplamente divulgado e reproduzido por nós do Crítica Nacional na noite de domingo, o suspeito de ter cometido o atentado aparentemente não possui ligações com o islã, apesar de testemunhas oculares o terem visto no interior da mesquita proferindo alahu akbar antes de iniciar a matança. Trata-se de um canadense de nome Alexandre Bissonnette. 

A grande imprensa vem explorando o fato de o suspeito ser um homem branco e procura apresentá-lo como supremacista branco, pelo fato de ter demonstrado simpatia por Donald Trump e por Marine Le Pen em seu perfil pessoal na redes sociais. Mas essa mesma grande imprensa islâmico-globalista militante ignora e oculta de seu público o fato de que o suspeito também demonstra simpatia por Jack Layton e outros líderes socialistas canadenses, além de ter igualmente “curtido” páginas de grupos feministas do país. 

Querer determinar o perfil político-ideológico de uma pessoa por meio de ações comuns e rotineiras feitas por todos os usuários de uma rede social, e não por meio da análise de suas declarações explícitas por meio de textos ou vídeos, é uma atitude desonesta e enganadora, como toda a atitude da grande imprensa em relação a esse episódio. 

Foi essa atitude desonesta e enganadora que adotou a Revista Veja, que publicou um panfleto disfarçado de matéria jornalística, onde cita uma suposta consultoria que utiliza o critério estúpido de “curtidas” em páginas para concluir se uma pessoa é ou não jihadista.

Segundo essa mesma consultoria mencionada pela Veja, o editor do Crítica Nacional jamais poderia ser associado à direita conservadora brasileira, pois no perfil pessoal do editor há “curtidas” para páginas de partidos, entidades e personalidades públicas da esquerda que o editor acompanha por interesse e até mesmo por obrigação associada à atividade de jornalismo. 



No vídeo mostrado acima, uma manifestação de muçulmanos em Vancouver, no Canadá.


Responsabilidade individual e consequências da islamização canadense
Querer atribuir a responsabilidade desse atentado a figuras públicas como Donald Trump ou Marine Le Pen, como a grande imprensa vem fazendo, não passa de canalhice e mau-caratismo próprios dessa grande imprensa. Por sua vez, a militância de esquerda que vem tentando capitalizar sobre o episódio, deveria ver em Alexandre Bissonnette sua imagem reversa, pois ele aparentemente fez aquilo que a esquerda e seus aliados muçulmanos sempre fizeram e fazem: matar pessoas inocentes em nome de uma causa ideológica.

Se Alexandre Bissonnettte de fato cometeu tal crime ele deve responder pelo mesmo na forma da lei, e isso não está em questão. Ao contrário da militância islâmico-comunista, que estimula e incentiva e financia crimes e atos de terrorismo contra civis inocentes, e que trata seus assassinos terroristas e genocidas como heróis, a direita conservadora jamais endossa, estimula ou celebra essas práticas. Se o acusado desse ato de terror tiver de fato cometido tal crime, ele o fez em seu nome e será tratado como pária e não como herói.

O episódio serve também para mostrar as consequências da política de fronteiras escancaradas e da política de islamização acelerada que o governo socialista canadense vem adotando nos últimos anos. Políticas essas que o primeiro ministro Justin Trudeau, um puppet e marionete do bloco islâmico-globalista, vem fazendo questão de reafirmar desde a posse de Donald Trump na Casa Branca.

O fato é que os globalistas decidiram transformar o Canadá num laboratório de engenharia social pró-muçulmana e globalista, cujas consequências serão extremamente profundas para o mundo ocidental no longo prazo. Voltaremos a tratar desse tema em artigo futuro, mas o episódio de terrorismo da semana passada revela apenas uma faceta da bomba-relógio que a esquerda globalista pró-muçulmana vem armando no país.


 

Anúncios

2 comentários sobre “Atentado Contra Mesquita de Quebec: Novas Facetas da Guerra Política

  1. Pingback: Atentado Terrorista Muçulmano no Canadá: O Alvo Era Uma Mesquita | Crítica Nacional

  2. Apenas nais um jovem tesloucado fazendo bobeiras tal como os esquerdistas. Um psicopata matando gente inocente e desarmada quando estavam tranquilamente orando.
    Devia ser liquidado!

    Curtir

Comentário ao artigo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s