Muro da Fronteira Mexicana: Fake News Diárias

governo-trump


A grande imprensa, ocupada com seu ativismo político pró-globalista e não em informar seu público corretamente, noticiou ao longo dessa semana que o presidente Donald Trump pretende criar uma tarifa nas relações comerciais com o México para pagar os custos de construção do muro na fronteira entre os dois países. A informação é rigorosamente falsa. Apesar disso, ela tem servido para pautar a discussões na grande imprensa a respeito do tema. Essa informação falsa também serviu de base para um péssimo artigo publicado no site do respeitável Instituto Von Mises, que pode ser visto nesse link aqui.

Em primeiro lugar, o presidente americano não tem poder de criar tarifas. Quem pode fazê-lo é o Congresso. Em segundo lugar, impor tarifa de importação a produtos mexicanos para pagar a construção do muro significaria na prática fazer com que os consumidores americanos financiassem tal construção, pois o valor de tal tarifa seria embutido no preço final. Esse é um fato econômico elementar que qualquer americano sabe, e principalmente o presidente Donald Trump. A despeito disso, o artigo do Instituto Von Mises citado acima usa esse fato para concluir que Donald Trump não entende de economia!

A realidade é que não existe até o momento um modelo definitivo sobre a forma de financiamento dessa construção, a despeito de Donald Trump ter afirmado em sua campanha que os mexicanos iriam de alguma forma pagar por ela. Uma possibilidade seria a taxação de remessas legais feitas por residentes mexicanos nos Estados Unidos para sua terra natal, conforme descrito em detalhes nesse excelente artigo  de Filipe G. Martins para o blog Senso Incomum, o qual recomendamos. Ainda assim trata-se de uma possibilidade em consideração e não uma proposta final.

Como já havíamos mencionado em artigo anterior, a guerra desleal e desonesta da grande imprensa globalista contra Donald Trump não terminou uma vez encerradas as eleições americanas. Essa guerra prossegue, e as únicas armas que a grande imprensa tem são a mentira e a distorção dos fatos. O leitor que realmente deseja saber a verdade não pode modo algum se pautar por essa grande imprensa, mas deve procurar fontes alternativas de informação que, como esse portal Crítica Nacional e outros veículos similares, tenham compromisso em primeiro lugar com a verdade.


 

Anúncios

2 comentários sobre “Muro da Fronteira Mexicana: Fake News Diárias

  1. Essa tal de “Tho Bishop” do Instituto Von Mises, deve ter se vendido a Soros dado o seu desnorteamento quando escreveu o artigo.
    Patético.
    Nem o vou comentar, já chega o Paulo Eneas tê-lo feito com precisão;.

    Curtir

  2. O IMB tem lá seu lado bom, mas é bom destacar que não são santos e muito pelo contrário.

    O IMB tem uma aparente proposta efetivamente libertária. Isso é muito bom, mas se valem da MENTIRA e do EMBUSTE também.

    Primeiro que fazem confusão com as chamadas reservas fracionárias, afirmando que tal permite que bancos privados “fabriqem” moeda.
    Assim afirmam através de um SOFISMA que nem mesmo se dão à decência de esclarecer minimamente, apelando para a MENTIRA DESCARADA ao afirmarem que “com um depósito de R$1000,00(Mil reais) um Banco disponibiliza R$10.000,00 (dez mil) caso o complulsório seja de 10%. Assim advogam que o compulsório seja de 100%. Trata-se de MENTIRA!
    Somente os Bancos Centrais podem emitir moeda sem lastro. O que ocorre é que o depósito de R$1000,00 é emprestado quem tomou emprestado pode voltar a depositar os R$900,00 e assi por diante.
    Isso não é fabricar dinheiro. Afinal o primeiro depositante, só sacará caso haja reseva para tal (ou o banco quebra ou pede emrpestado de outro ou de alguém para restituir o depositante). Porém qdo esse depósito é usado para compra de títulos públicos, aí sim, o Banco Central ao resgatar os títulos “fabrica ” moeda sem lastro. Tendo-se em conta que o dinheiro dado pelos títulos foi gasto pelos governos e retornado ao Banco será duplicado com o resgate do BC. O IMB MENTE!!! …qdo diz que bancos “fabricam” dinheiro do nada e assim dizem que 1 mil depositados se transformam em 10000 mil (deixando a impressão que mesmo se aplicado em emprestimos privados).

    Mas a maior CANALHICE do IMB é sua defesa de NÃO DIREITO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL.

    Simplesmente, AINDA MAIS ARBITRÁRIAMENTE que MARX se opondo à propriedade dos “MEIOS de PRODUÇÃO” eles afirmam que propeiedade intelectual não deve ser respeitada porque, não sendo física, o dono ainda continua dela usufruindo: o autor de um livro pirateado ainda terá seu livro. Com isso arbitram contra o direito AOS FRUTOS do PRÓPRIO TRABALHO.

    Curiosamente defendem o direito de propriedade das MARCAS. Dizem que sua regra de o dono não perder o bem imaterial não deve ser aplicada no caso das MARCAS. Notadamente grandes empresas é que possuem marcas conhecidas.

    Não admitem que, por exempĺo, um laboratório que gastou milhões em pesquisas durante anos tenha direito exclusivo à suas descobertas. Uns CANALHAS!

    Essa teoria dos recebedores de GRANDES GRUPOS que além de não desejarem pagar DIREITOS AUTORAIS ainda querem impedir concorrentes descapitalizsados, mas com grandes descobertas ou idéias.
    ÓBVIO!!! …Uma grande empresa grande acesso ao mercado de capitais e mesmo um caixa recheado, caso tenha ACESSO GRATUITO ás invenções e descoberats alheias poderá investir forte na produção sem nenhum outro custo a ser ressarcido. Com isso, pequenas empresas ou empreendedores criativos jamais conseguirão crescer com suas próprias descobertas e invenções. Pois os GRANDES ESTABELECIDOS podendo se APOSSAREM de inventos e descoberats alheias facilmente arruinação os emergentes com grandes idéias e descoberats.

    CANALHAS!!! …e ARBITRÁRIOS que tal e QUAL MARX deliberam que não deva existir propriedade intelectual, como Marx deliberou que não deveria existir peopriedade dos meios de produção.

    Os cretinos não querem perceber que o EMPREENDEDOR é apenas um trabalhador intelectual que investe seu capital. Caem no no mesmo embuste marxista de que o TRABALHO INTELECTUAL NÃO É TRABALHO e por tal não deve ter sua propriedade reconhecida. Foi daí que Marx determinou que o empreendedor é um parasita e que somente o seu capital gerava a renda.

    Assim, TAL e QUAL o IMB atualmente, MARX também deliberou que não havendo trabalho o máximo que o investiodor deveria receber SERIA o CAPITAL do SEU PRÓPRIO INVESTIMENTO. O qual os trabalhadores deveriam ressarcir.

    Nem os marxistas sabem ou comentam essa tese de Marx. Ela é desconhecida, ficando todos na base do senso comum de intuições baseadas no desconhecimento das empulhações abobrinaléticas de Carl Marx.

    Curtir

Comentário ao artigo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s