O Politicamente Correto Tem Que Ser Combatido de Frente

O politicamente correto é a principal e mais importante ferramenta de guerra política criada pela esquerda nas últimas décadas, destinada a cercear a liberdade de expressão e estabelecer unilateralmente quais temas e quais opiniões são admissíveis no debate público, excluindo de antemão toda e qualquer opinião contrária ou que não se enquadre nesse limites estabelecidos pela esquerda. Limites destinados a fazer avançar a agenda ideológica esquerdista no campo da cultura, dos valores éticos e morais e do imaginário coletivo das pessoas.

O politicamente correto consegue avançar em seu propósito de construir a hegemonia do pensamento esquerdista porque as pessoas em condições de enfrentá-lo e contestá-lo são covardes o bastante para se recusar a fazê-lo. Vimos um exemplo dessa covardia essa dias no Brasil, onde os episódios de violência em presídios deram à esquerda a oportunidade de trazer novamente para a esfera da opinião pública sua visão segundo a qual criminosos devem ser protegidos pela sociedade e pelo estado, que deve também empenhar todos os esforços para “ressocializá-los”. Não há nessa visão qualquer menção às vítimas desse criminosos, e a noção de responsabilidade individual é simplesmente ignorada.

A covardia em questão está no posicionamento de algumas figuras públicas que sabidamente não são de esquerda, mas que preferiram tratar desses episódios não por meio da contestação da narrativa esquerdista, mas pelo esforço de se adequar a ela ou pelo menos não confrontá-la. Qual a razão dessa postura, dessa concessão ao politicamente correto por parte de quem não é de esquerda? Ficar bem na foto com os colegas de redação daquele jornal, ou daquela revista, ou daquela emissora de televisão? 

Não se combate nem se enfrenta o politicamente correto respeitando seus pressupostos. É preciso fazer exatamente o oposto: é necessário contestar as imposições do politicamente correto a partir do desmascaramento de suas teses centrais, como ressocialização de criminosos, justiça social e outras palavras-gatilho que a esquerda criou justamente para estabelecer as fronteiras do campo de discussão admissível e aceitável. É preciso romper essas fronteiras, e não se limitar a elas com um discurso supostamente mais racional. Uma racionalidade que apenas esconde a covardia de não fazer a guerra política contra a esquerda da maneira que ela deve ser feita.


 

Anúncios

3 comentários sobre “O Politicamente Correto Tem Que Ser Combatido de Frente

  1. Comecemos então a considerar os liberais e libertários como realmente são: ESQUERDISTAS! O tal Rodrigo Constantino publicou um texto falacioso do Instituto Liberal pró-liberação das drogas: http://rodrigoconstantino.com/artigos/uma-parabola-sobre-o-crime-organizado-e-legalizacao-das-drogas/

    Eu achava exagerada as restrições que o Olavo de Carvalho tem para com o Rodrigo, pois o achava até a leitura desse texto um liberal “inteligente” e até mesmo um possível eventual aliado. Entretanto, é baixar a guarda e os liberais nos esfaqueiam em nossa própria trincheira!

    Curtir

  2. Pingback: O Politicamente Correto Tem Que Ser Combatido de Frente | midiaagricola

  3. .
    Curiosamente foram os conservadores que se tornavam facilmente esquerdistas, os NEOCONS, nos EUA.

    A mão inversa também é da mesma laia, ja que antigos safados militantes da esquerda comumente se transformam em conservadores. Afinal, conservadores e esquerdistas têm tudo em comum: são ideológicos e amam o Poder estatal.

    Não por acaso as idéias liberais nasceram combatendo o Socialismo aristocrático Mercantilista dos que vieram a ser chamados “conservadores” por desejarem conservar o status quo MERCANTILISTA.

    As críticas liberais eram contra as canalhices protecionistas e monopolistas da aristocracia e seus vagabundos agregados. Como não tinham argumentos contra as idéias Liberais inventaram Karl Marx. Este financiado e protegido por aristocratas vagabundos aos quais Marx chamava de alta burguesia.

    O Socialismo precede Marx. Marx chamou o socialismo carolas de “Socialismo Utópico” e deu ao seu socialismo o nome de “Socialismo Científico”.
    O tal Comunismo de Marx, inspirado no ferrenho cristão católico Tomas More, seria apenas decorrente da aplicação do Socialismo científico numa Ditadura do Proletariado. Só depois que tal criasse a abundância absoluta e TRANSFORMASSE os humanos em SANTOS sem ambições e plenamente altruístas é que o tal Comunismo se estabeleceria NATURALMENTE. Portanto, Marx nunca advogou de fato a PRAXIS comunista, mas a DITADURA do PROLETARIADO.

    Conservadores é que falam asneiras sobre paises “comunistas” onde não há tal impossibilidade, mas apenas SOCIALISMO ou Estado hegemonico sobre a população. O mesmo que defendem os conservadores que tanto transitam pelos socialismos ou esquerdismos, já que a esquerda sempre defendeu ESTADO INTERVENTOR NA VIDA PESSOAL e em tudo mais, mesmo quando JACOBINOS.

    Curtir

Comentário ao artigo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s