Populista & Extrema-Direita: Armadilhas Semânticas dos Globalistas

A grande imprensa internacional, da qual a grande imprensa brasileira é uma repetidora vira-lata, tem usado os termos populista e extrema-direita para se referir às forças políticas conservadoras de direita e de forte viés nacionalista que têm se insurgido principalmente na Europa em oposição ao projeto de natureza esquerdista e hegemonista dos globalistas no continente. O uso desses termos tem um claro propósito de desinformar e de ocultar do público o que estas forças política de fato representam: a real expressão dos anseios da maioria da população dos países europeus, que querem se ver livres das imposições da agenda esquerdista da União Europeia.

A esquerda sempre utilizou o termo extrema-direita como instrumento de guerra política para se referir de modo depreciativo e desqualificador a qualquer posição político-ideológica que não esteja alinhada com a agenda dessa esquerda. O sentido meramente propagandístico do termo fica evidente pelo fato de nenhum esquerdista ser capaz de apresentar uma definição consistente do que viria ser uma suposta extrema direita. O que modo algum surpreende, pois o termo extrema-direita foi inventado pela esquerda justamente para se referir a algo que não existe no mundo real, constituindo-se tão somente num instrumento semântico de guerra política.

Por sua vez, o emprego da expressão populista para se referir às forças políticas que se opõem ao globalismo se constitui na melhor das hipótese numa deformação. Pois se existe algo que possa ser classificado como populismo são justamente as políticas de esquerda em suas várias vertentes. Políticas essas que incluem invariavelmente a promessa de resolução dos problemas da vida das pessoas por meio da maior dependência das mesmas em relação a um estado agigantado e inchado, que tolhe a liberdade individual e inibe o empreendedorismo e a livre iniciativa e que coloca constrangimentos ao direito de propriedade. Vale lembrar que o Brasil sob os governos tucano e petista foi um autêntico laboratório para todo tipo de experiência populista.

Quando a esquerda precisa usar de um termo que a descreve tão bem, no caso o termo populismo, para fazer guerra política contra a direita conservadora, essa esquerda está apenas seguindo a máxima do leninismo que ordena aos comunistas acusarem seus oponentes de serem exatamente aquilo que eles,  os comunistas, são. No entanto, possivelmente Lenin nunca imaginou que teria à disposição de seus futuros seguidores um exército global de jornalistas prontos para colocar em prática seus ensinamentos.


 

Anúncios

Comentário ao artigo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s