A Classe Política Arma um Golpe Contra a Nação

A terça-feira foi marcada por iniciativas espúrias no Congresso Nacional visando impedir a aprovação de medidas de combate à corrupção, ao mesmo tempo em que ocorreram esforços por parte do Senado para aprovar um projeto de lei (PL280) que, sob pretexto de combater o abuso de autoridade, tem por objetivo claro a tentativa de minar as investigações da Lava Jato e em particular intimidar o trabalho do juiz Sérgio Moro. Poucas vezes na história do país assistiu-se uma ação tão explícita por parte da classe política contra os interesses do país e contra a vontade da maioria da nação. 

Na Câmara dos Deputados, o dia foi marcado pelas manobras dos partidos, especialmente PMDB, PSDB e DEM, na comissão especial que analisa o projeto das Dez Medidas Contra a Corrupção. Dez medidas que se tornaram dezoito, para depois tornarem doze. Desde quando o projeto original das Dez Medidas foi apresentado, o Crítica Nacional expressou sua objeção em relação à concepção original do projeto, como pode ser visto nesse artigo aqui, pois entendíamos que o projeto essencialmente consistia na concessão de mais poderes a órgãos do estado.

Nós mantemos a objeção original, pois entendemos que não se combate as causas da corrupção concedendo mais poderes ao Estado. Ao contrário, é justamente no excesso de poderes do estado, presente de modo compulsório na vida das pessoas e das empresas, que reside a causa e a raiz das práticas de corrupção, que em grande parte se dá por meio de concussão, isto é, corrupção por iniciativa de agentes públicos. 

O projeto original sofreu algumas alterações por parte do relator Onyx Lorenzoni, que amenizou alguns, embora não todos, dos seus aspectos originais mais criticáveis, e acabou por ganhar o endosso de parte dos ativistas e grupos dos movimentos de rua. As tentativas recorrentes da classe política de sabotar o projeto e até mesmo desfigurá-lo, introduzindo por exemplo a anistia aos crimes de caixa dois, reforçou a decisão de vários ativistas de apoiar o projeto, que acabou por se tornar um front no combate à classe política e sua tentativa permanente de manter seus privilégios e se safar de seus crimes.

Por sua vez, o PL280 é uma clara tentativa de minar definitivamente a Lava Jato. Engavetado desde 2009, o projeto foi trazido à pauta por Renan Calheiros e na terça-feira foi aprovado o caráter de urgência para sua tramitação. Uma urgência que não se justifica em circunstância alguma, exceto pela urgência de políticos acusados de corrupção, como o próprio Renan Calheiros, em ver brecadas as investigações que possam incriminá-los.

É hora de a nação reagir contra nossa falência civilizacional
A nação vive um momento político delicado, com um presidente que a todo momento exibe atitudes ambíguas, o ativismo judiciário que atenta contra o ordenamento constitucional,  e uma classe política que sempre esteve de costas para os reais interesses do país e para as autênticas expectativas da população. Ao mesmo tempo, os movimentos de rua vivem há meses vivem uma paralisia decorrente da decisão de parte de suas supostas lideranças de se alinhar com a mesma classe política que essas supostas lideranças fingiam combater durante o movimento de impeachment.

Ao nosso ver não há de imediato qualquer saída para esse impasse que não seja a mobilização popular contra a classe política. Uma mobilização que não se limite a combater a corrupção, mas também a questionar a própria legitimidade da elite política que há décadas governa o país e que atenta contra os interesses da nação.

Uma elite política que se comporta como traidores da pátria, pois ela é a responsável por todas as nossas mazelas: a insegurança jurídica, as dezenas de milhares de homicídios anuais, o aumento desenfreado da violência urbana e do tráfico de drogas, a dilapidação do patrimônio público, o rouba de nossas riquezas nacionais, a completa degradação moral de grande parte de nossa juventude, a completa falência dos serviços públicos essenciais.

O processo de falência civilizacional da sociedade brasileira somente poderá começar a ser revertido com a mobilização dos setores esclarecidos da sociedade, em um movimento que traga novamente milhões de pessoas às ruas não mais apenas para exigir o paliativo do impeachment, mas para exigir o direito inalienável do povo brasileiro de tomar em suas mãos as rédeas de seu destino. 


 

10 comentários sobre “A Classe Política Arma um Golpe Contra a Nação

  1. A verdade é que ninguém sabe o que realmente quer, por isso os maus levam vantagem, sejam eles, políticos, sindicalistas, imprensa, etc… ninguém nunca fez nada, de repente surge um pessoal lá de Curitiba que ninguém conhecia e começa a tentar limpar o país, aí começam a aparecer gênios que criticavam nossas mazelas, mas também não faziam nada, viviam e vivem das críticas, sem ter o que criticar como ganharão seu dinheiro não é mesmo? Então acabam separando os bem intencionados, para alegria dos maus, parabéns como sempre, vocês conseguem travar as mudanças necessárias, temos de um lado os corruptos, assassinos e ladrões, e de outro os fanáticos legalistas, e no meio de tudo isso um país que nunca resolve nada, e quem sofre? os mesmos de sempre, afinal já estamos acostumados não é mesmo°? vão todos à merda! os caras invadem escolas, bloqueiam rodovias e avenidas, agridem contrários nas ruas e tudo goela abaixo, daí um pessoal de saco cheio invade o congresso pedindo socorro e os chamam de extremistas, radicais, estúpidos, imbecis, afinal existe sempre a chance, segundo a análise dos “analistas da legalidade”, dos problemas não os atingirem não é mesmo? já me enchi dos corruptos e dos palpiteiros que acabam ajudando os bandidos.

    Curtir

  2. Parabéns legalistas, tentem despertar consciência nos responsáveis pela criação e mudanças das leis, tentem despertar o patriotismo nesses bandidos, só os legalistas não perceberam que com este congresso não há a mínima chance acabar com a impunidade, mas estão sempre certos fazer o quê?

    Curtir

  3. Prezados amigos,

    Esas maquinações contam com a apoio incondicional de idiotas-úteis, como o ,Tucanaldo Azevedo, que parece ter se transformado em fiador, na imídia, de tudo quanto seja contra a Lava Jato.

    Se quiserem ter mais u’a medida do caráter dele, vejam o trato leniente que vem dando a toda essa mobilização do Congresso no sentido de travar a Lava Jato, e que contrasta com o entusiástico apoio que dá a medidas de contenção da operação. Cito, como exemplo, o projeto sobre abuso de autoridade que o ‘Renan “Canalheiros” desengavetou, no justo momento em que a Lava Jato passou a se constituir numa ameaça real para a política do crime organizado que assola o país. O Tucanaldo o apoia, sem restrições!i.

    No meu entendimento, o divisor de águas do seu posicionamento em relação à operação foi a prisão do Marcelo Odebrecht e a citação de tucanos nas delações premiadas. O cara mudou da água par o vinho, ou melhor, da água para o vinagre. Age, hoje, como se fosse um desinformante a serviço dos inimigos da Lava Jato, e parece ter orgasmos múltiplos a cada vez que surge algo contra a operação. Tudo isso, porém, sob a pose de isentão legalista com que tenta justificar o seu protagonismo antilavajato.

    Esse tucano, por mais que se esconda, senpre será um livro aberto para mim.

    Curtir

    • Reinaldo Azevedo pode ser o que for, mas idiota útil ele não é: o cara era um tucano enrustido para posar de “isentão” e ganhar leitores. Agora que está cheio de empregos e não precisa mais de leitores (a Folha está cheia de fracassados como colunistas), ele tirou a máscara até mesmo porque precisa apresentar “níveis de pureza ideológica” esquerdista para agradar seus patrões.

      Acham que foi à toa, tão logo houve o impeachment, ele brigar com o Olavo? Ele apenas estava provando que era “limpinho”! Quanto à Sérgio Moro, tenho minhas dúvidas que nesse caso não há ideologia envolvida, mas “Armadilha Bisol/contra-infos. RA? EA/Veja?”

      Curtir

  4. O Presidente Michel Temer aproveitou a posse do comunista enrustido Roberto Freire, no Ministério da Cultura e falou:”Nós temos hoje absoluta certeza de que o governo está ganhando muito. E se o governo foi bem até agora, a partir do Roberto Freire vai ganhar céu azul, vai ganhar velocidade de cruzeiro e vai salvar o Brasil”.
    Estamos desgraçados! Ou está senil ou virou marxista para eu ser bem educado!

    Curtir

  5. Prezados amigos,

    Vejam como o Reinaldo Azevedo, um subjornalista que seus próprios leitores já batizaram de “Tucanaldo” Azevedo, denomina o Deltan Dellagnol. Cito isso aqui para que vocês saibam com que tipo de gente estamos lidando do outro lado. Do outro lado, sim, pois esse cara parece fazer parte, agora, da tropa de choque do lulopetismo na internet. Destaco um trecho de um dos últimos textos que ele escreveu, defendendo posições contrárias à Lava Jato: “A proposta de Onyx Lorenzoni, aprovada pela comissão, corrigiu algumas maluquices saídas da cabeça de Deltan Robespíerre Marat Dallagnol”. Deltan Robespíerre Marat Dallagnol! É assim que esse ex-trotskista e atual socialista fabiano, que mais parece a “Marilena Chauí dos tucanos”, se refere ao digno procurador Deltan, amigos!

    Aliás, há quem já esteja chamando o projeto de abuso de autoridade do Renan de Projeto “”Renan & Reinaldo”, tamanho o ardor com esse subjornalista defende a tentativa de amordaçar o Juduciário, posta em regime de urgência pelo senador que está, ao que tudo indica, com uma “lavajatite” aguda.. Creio que os blogs democratas todos deveriam se posicionar em relação a esse desinformante,que começou a atacar o Moro, o Deltan e a Lava Jato por tudo e por nada, a partir do momento em que o Marcelo Odebrecht foi preso e que as delações premiadas passaram a citar próceres tucanos como possíveis receptadores de propinas dp petrolão.

    O cara é um camaleão, e é preciso estar de olho vivo nele, já que, posando de isentão legalista, angariou seguidores e tem sido uma referência, na mídia, não só para blogueiros sujos a serviço do projeto criminoso de poder, mas até para os advogados de Lula ‘Jararaca” da Silva. Daqui a pouco esse cara vai acabar ganhando uma coluna no famigerado blog sujo “247”. Ou seja, ele não faz outra coisa senão levar água para o moinho da bandidagem política que tomou de assalto o país. Precisa ser desmascarado.

    Curtir

    • Mario
      24/11/2016 às 11:25

      Gostei de ler seu artigo e estou em total sintonia consigo.
      Só lhe posso dizer, PARABÉNS!

      Curtir

  6. .
    Parece que ninguém consegue perceber que há duas formas de se viver:

    1- Pelo TRABALHO

    2- Pelo PODER.

    1 – O NEGÓCIO (negar o ócio) de uns é Trabalhar intelectualemente ou fisicamente, produzir e investir. Desta forma nada se obtém se não em TROCAS ESPONTAS, onde todas as partes envolvidas aceitam livremente a troca vislumbrando BENEFÍCIOS.
    – Todos trocam objetivando OBTER BENEFÍCIOS.

    Assim funciona o NEGÓCIO de quem TROCA seu TRABALHO e/ou CAPITAL ACUMULADO LEGITIMAMENTE.

    2 – O NEGÓCIO de outros é EXERCER O PODER SOBRE os DEMAIS. Desta forma nada se obtém se não em IMPOSIÇÕES MEDIANTE AMEAÇA de MAL AINDA MAIOR. Desta forma uma parte AMEAÇA causar um DANO ainda MAIOR do que aquele que EXIGE da VÍTIMA.
    O negócio é então realizado onde UMA DAS PARTES CEDE à VONTADE da OUTRA com o objetivo de não SOFRER o DANO MAIOR que a outra poderá lhe causar, caso NÃO OBEDEÇA.

    – Essa é exatamente a descrição de ESCRAVIDÃO.

    Os governos ESCRAVIZAM a SOCIEDADE PRODUTIVA, EXPLORANDO-A ATRAVÈS de AMEAÇAS de CAUSAR aos indivíduos produtivos UM DANO MAIOR do QUE aquele inicialmente EXIGIDO.

    Na modalidade de se viver pelo TRABALHO:
    – o negócio consiste numa TROCA onde TODAS as partes envolvidas objetivam OBTER UM BENEFÍCIO COMPENSADOR ao que oferecem na TROCA ESPONTÂNEA.

    Na modalidade de se viver pelo PODER:
    – o negócio se realiza por uma IMPOSIÇÃO de uma das partes envolvidas, de modo que as partes que CEDEM à vontade das outras o fazem objetivando NÃO SOFRER o DANO ainda MAIOR que lhe será imposto.

    Ou seja, quando o NEGÒCIO é o PODER, uma parte envolvida EXIGE UM BENEFÍCIO para NÃO CAUSAR DANO maior às demais partes coercitivamente envolvidas. As demais partes aceitam a IMPOSIÇÃO objetivando NÃO SOFRER os DANOS AMEAÇADOS.

    – Em TROCAS livres há IGUALDADE de propositos: BENEFÍCIO.

    – Nas IMPOSIÇÕES há DESIGUALDADE (assimetria) de propositos: um lado almeja BENEFICIO e o outro apenas NÃO SOFRER o DANO MAIOR ameaçado.

    Quando sujeitos ambicionam o PODER como meio ideal de vida, são canalhas.
    O PODER É O NEGÓCIO DELES e assim esmeram-se na conquista e manutençaõ do PODER e nada respeitam se não em tal vislumbre.

    É O NEGÓCIO de CADA UM e cada um tenta ser MESTRE no SEU NEGÓCIO.

    Curtir

Comentário ao artigo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s