Ocupação na Câmara: Saiu na Imprensa Alemã

A ocupação na Câmara dos Deputados ocorrida nessa quarta-feira repercutiu na imprensa internacional. Até mesmo a revista alemã de orientação esquerdista Der Spiegel noticiou o fato em sua edição online. Citando fontes da grande imprensa brasileira, a revista afirma que dezenas de manifestantes ocuparam o plenário do legislativo para denunciar o comunismo e para pedir intervenção militar na vida política do país, como pode ser visto nesse link aqui.

É evidente que a matéria da revista alemã apresenta uma distorção, pois a pauta apresentada pelos manifestantes envolvia muito mais do que a menção a intervenção militar, tese com a qual não concordamos como estratégia de ação política nos termos em que é colocada. A reivindicação falava explicitamente na defesa da Lava Jato e no apoio a medidas de combate a corrupção e ao fim do foro privilegiado para a classe política, entre outros.

Apesar dessa distorção da revista, a repercussão que a ocupação obteve junto a imprensa internacional por si só valida e justifica a iniciativa, e serve de lição de guerra política. Uma lição principalmente para uma parcela de uma suposta direita mais preocupada com a auto-imagem e sobre “o que a imprensa vai dizer” a respeito de determinadas pautas e ações políticas, e sobre como manter a imagem de “conservador de boa estirpe”.  

Essa pseudo-direita de condomínio, que não quer sujar o short novinho no playground, precisa aprender e entender que não se faz guerra política pautando nossas ações com base no que nossos adversários e inimigos irão dizer e quais narrativas irão criar. A imprensa sempre irá atacar e condenar a direita, em qualquer circunstância. Se amanhã um grupo de conservadores for distribuir rosas na Avenida Paulista, a imprensa irá dizer que a estrema direita está agredindo as pessoas com espinhos. 

Portanto, o que a autêntica direita na sua totalidade precisa fazer é não se pautar pelas narrativas futuras da imprensa quando for determinar suas ações. Até porque, se esse critério fosse seguido, o ato a favor de Donald Trump jamais teria sido realizado. Em vez de se preocupar com o que a imprensa vai dizer, a direita deve e precisa se valer do descrédito crescente da grande imprensa e contestar e desconstruir as narrativas falaciosas dessa mesma grande imprensa. Por esse critério, os ativistas que ocuparam a Câmara dos Deputados nessa quarta-feira deram uma autêntica lição de guerra política, e por isso merecem ser parabenizados.


228

8 comentários sobre “Ocupação na Câmara: Saiu na Imprensa Alemã

  1. Paulo, concordo contigo. Mas acrescento um detalhe. Após terem (Patriotas com “P” maiúsculo) sido liberados na Polícia Federal, o grito deles era: “Deus, família e pátria!”. Portanto, eles não são meros ativistas, mas verdadeiros conservadores que lutam pela causa.

    Curtir

    • Estão de parabéns os patriotas foram corajosos, teve coragem de falar para os corruptos o que povo quer dizer.

      Curtir

  2. Reinaldo Azevedo, o Tucanaldo Azevedo, foi contra. Quer que prenda tofdo mundo. Ele é um dos mais capciosos adversários da Lava Jato hoje. Posa de isentão legalista, enquanto entrega o ouro para os bandidos, com a maior desfaçatez! Cala-se diante das coisas mais cabeludas que vêm da PGR, do STF e do Congresso, enquanto põe a boca no trombone a cada suposto excesso da Lava Jato.

    Infelizmente, são poucos os blogueiros que apoiam a Lava Jato e que têm denunciado a ação perniciosa desse quinta-coluna dos tucanos, da bandalha política em geral e, consequentemente, da ORCRIM

    Curtir

  3. Diante do cenário nacional tanto politico quanto na segurança pública que nos apresenta uma futura comoção social os “intervencionistas” reivindicavam o cumprimento do art. abaixo:

    Art. 142. As Forças Armadas, constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica, são instituições nacionais permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do Presidente da República, e destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem.

    Hoje estamos vivenciando, com raríssimas exceções (vide Juiz Sergio Moro), a ditadura do judiciário (STF)em defesa dos interesses da esquerda que tomou conta do poder.

    Curtir

  4. Tire-me uma dúvida, normalmente algumas manchetes funcionam como uma voz de comando, como uma ordem oculta para que algum movimento vde peças seja feito. . Essa divulgação na imprensa internacional, alinhada com a esquerda, não seria um comando de atenção? Tipo” droga, eles descobriram o ponto fraco, hora de mudar de estratégia”

    Curtir

Comentário ao artigo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s