Quem Já Ganhou & Quem Já Perdeu

Enquanto a votação ainda transcorre nos Estados Unidos nessa terça-feira, podemos antecipar quem seguramente já ganhou e quem já perdeu nessas eleições:

Grande Imprensa
A principal derrota moral dessa eleição foi sem dúvida da grande imprensa, tanto a americana quanto a brasileira. Nunca ficou tão claro como agora o que a grande imprensa realmente é e representa: um grupo de interesses escusos da sociedade, alinhado com o esquema de poder globalista e disposto a mentir para o seu público e omitir informações em função desses interesses. A quase totalidade da grande imprensa se comportou como comitê de campanha de Hillary Clinton e agiu como central de difamação e calúnia e desinformação contra Donald Trump.

A parcela informada do público, e capaz de influenciar a opinião pública, percebeu claramente esse comportamento desonesto e mentiroso da grande imprensa, cuja credibilidade foi reduzida a pó junto a esse segmento. Nenhuma pessoa minimamente informada hoje irá se pautar em assuntos políticos internacionais com base unicamente no que dizem CNN, Washington Post, MSNBC, Globo News, Folha de São Paulo, Antagonista e outros veículos da mesma estirpe.

Redes Sociais
Mais uma vez as redes sociais fizeram a enorme diferença e contraponto em relação à rede de desinformação e mentiras da imprensa convencional, por isso foram as vitoriosas morais dessa eleição. Milhões de pessoas no mundo inteiro puderam encontrar nas redes e nos veículos alternativos da internet a informação sistematicamente sonegada pela grande imprensa.

Site WikiLeaks
O serviço de contrainformação de Julian Assange, em que pese o perfil ambíguo de seu diretor, alcançou um nível inquestionável de reputação e de credibilidade. A divulgação das dezenas de milhares de emails de Hillary Clinton e de seu staff de campanha, mostrando claramente que a candidata socialista do Partido Democrata cometeu crimes quando era Secretária de Estado de Barack Obama e provando que sua campanha é financiada em parte pelo mesmo esquema financeiro muçulmano que financia e banca o terror islâmico pelo mundo, incluindo o Estado Islâmico, foi a grande contribuição à verdade dada pelo WikiLeaks.

Vladimir Putin
Os socialistas pró-muçulmanos do Partido Democrata tentaram desviar o foco da opinião pública americana insinuando a possibilidade de guerra com a Rússia. Putin foi habilidoso o bastante ao deixar claro que a verdadeira ameaça de guerra mundial hoje é representada pela elite globalista de esquerda do Partido Democrata e não por Donald Trump. A opinião pública americana percebeu a manobra e a retórica belicista de Obama e Hillary acabou se voltando contra a candidata democrata, que acabou por abandonar a estratégia suicida cerca de um mês antes da eleição.

Analistas Políticos
Pretensos analistas políticos da grande imprensa e da academia, especialmente aqueles apresentados como especialistas, que na verdade não passam de especialistas em suas próprias opiniões e convicções esquerdistas, foram os principais derrotados. Esses especialistas diziam que Donald Trump jamais venceria as primárias republicanas. Trump venceu as primárias. Depois disseram que ele jamais receberia a indicação como candidato na Convenção do Partido Republicano. Donald Trump foi indicado candidato do partido.

Esses mesmos especialistas diziam que ele seria incapaz de unificar o partido devido a seus inúmeros “erros” e suposta falta de habilidade política, e que sua campanha seria um fracasso, provocando uma debandada de republicanos para a candidata democrata. Donald Trump unificou muito mais do que os republicanos autênticos: sua campanha se tornou maior do que o próprio partido e conquistou eleitores junto a vastos segmentos dos democratas. A única debandada que houve foi de um bando desprezível de oportunistas globalistas presentes do Partido Republicano e que ficaram muito bem representados e ridicularizados pela fracassada campanha #NeverTrump.

Esquerda Brasileira
A esquerda brasileira nunca escondeu seu ódio visceral a Donald Trump. Mas ela foi covarde o bastante para não ter coragem de vir a público e expressar seu apoio e sua torcida à candidata socialista pró-muçulmana e abortista e criminosa e corrupta Hillary Clinton. Em vez disso, essa mesma esquerda delegou essa tarefa de apoio e torcida a seus prepostos na grande imprensa.

Direita Brasileira
A direita brasileira saiu vitoriosa nessa campanha eleitoral americana. A campanha ensejou a possibilidade de a direita nacional romper com a hegemonia e o monopólio da iniciativa política que sempre esteve na mão da esquerda. E essa ruptura ocorreu quando a direita foi pra rua em defesa da candidatura de Donald Trump. O ato simbólico de apoio público de brasileiros ao candidato republicano realizado na capital paulista dias atrás causou indignação e perplexidade na esquerda e também numa pretensa direita almofadinha e de short limpinho. Essa reação de perplexidade, bem como sua enorme repercussão, serviram para mostrar a enorme dificuldade que a esquerda brasileira tem de aceitar que ela já não mais detém o monopólio da iniciativa política no país.


4 comentários sobre “Quem Já Ganhou & Quem Já Perdeu

  1. Parabéns Paulo!! O teu Crítica Nacional é preciso e muito bem escrito. A tua página está, junto do prof Olavo, em primeiro no meu feed.

    Curtir

  2. Pingback: lde-20161108 | News Archive

  3. Pingback: extra-20161109-ed | News Archive

Comentário ao artigo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s