Notas Brevíssimas Sobre a Prisão de Cunha

A prisão de Eduardo Cunha suscita algumas estranhezas que precisam ser analisadas, e algumas considerações preliminares sobre esse novo capítulo que se abriu na disputa intestina que ocorre no núcleo de poder da classe política. Disputa essa que teve início ainda ao final do primeiro mandato da ex-presidente petista, e que não se esgotou com o afastamento do petismo da chefia do executivo:

a) No mesmo dia que o juiz Sergio Moro ordenou a prisão de Eduardo Cunha, a imprensa divulga pesquisa em que Lula supostamente estaria em primeiro lugar na preferência espontânea de intenção voto para as próximas eleições presidenciais.

b) Nessa mesma semana da prisão do ex-chefe do legislativo, o Supremo Tribunal Federal concedeu o perdão das penas ao núcleo duro do Mensalão, beneficiando apenas os políticos condenados nesse caso.

c) A prisão de Eduardo Cunha se deu em condições pouco usuais: os policiais federais o detiveram na rua nas proximidades de seu apartamento funcional na capital federal. As malas já estavam prontas no interior do imóvel.

d) Desde o início das investigações da Lava-Jato nenhum político realmente de peso foi preso, pois Delcídio Amaral, Antônio Palocci, João Vaccari e outros tesoureiros são figuras de segundo escalão para baixo dentro do esquema real de poder.

e) Os únicos políticos que estão sob a ação direta da justiça nesse momento são Eduardo Cunha, no âmbito da Lava-Jato, e Jair Bolsonaro no âmbito da perseguição por razões ideológicas.

f) Há cerca de alguns meses atrás, o STF ignorou por completo o texto constitucional e decidiu afastar Eduardo Cunha da presidência da Câmara dos Deputados.

g) Existe uma expectativa quanto a uma possível delação premiada de Eduardo Cunha que, no caso de ser confirmada, acredita-se que poderia arrastar quase toda a classe política para uma crise sem precedentes de legitimidade. Essa expectativa pode ser precipitada, pois a delação premiada se constitui em uma admissão de culpa. Portanto, consideramos essa possibilidade, ao menos por ora, bastante improvável.


 

4 comentários sobre “Notas Brevíssimas Sobre a Prisão de Cunha

  1. Sim, nao concluiu…

    O texto levanta a hipóstese de???

    Ou pura elocubrações para dizer que alguém levará alguma vantagem política no evento. Isso é cartomancia….

    Curtir

  2. Não acredito em risco eminente de conflito. Essa possibilidade pode servir de “desculpa” alarmista para não prender o “Amigo”. Um certo terrorismo. As evidências para a prisão são contundentes e pesadas o suficiente para convencer o mais petista dos petistas.
    O que há de verdade por trás da prisão do Cunha, embora os aspectos levantados aqui, deixa margem à especulações, se não cogitações.
    Eu acredito em possível estratégia.

    Curtir

Comentário ao artigo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s