Fernando Henrique Cardoso & a Onda de Direita

Fernando Henrique Cardoso diz estar preocupado com o que ele chama de onda de direita no país. Do ponto de vista dele, faz sentido essa preocupação, embora ela contenha uma imprecisão: não existe onda de direita, pois onda é coisa passageira e fugaz. O que existe no país é o renascimento consistente e irreversível, ainda que tímido e desorganizado, de uma direita ancorada nos valores conservadores que a maioria dos brasileiros de bem sempre abraçaram. O velho líder tucano nunca fez parte dessa maioria. Ele faz parte da minoria de esquerda, que ascendeu ao poder por exercer hegemonia. 

O socialista da velha estirpe, amigo do genocida Fidel Castro, pai e avô e de todos os movimentos socialistas e comunistas no país nas últimas três décadas, incluindo o petismo de seu amigo Lula, para quem ele preparou o caminho para a chegada ao poder e a quem sempre blindou, tem razões para estar preocupado: a direita está sim renascendo no país, e está quebrando a hegemonia esquerdista que ele ajudou a construir. Essa quebra de hegemonia esquerdista irá prosseguir, pois corresponde aos anseios da maioria dos brasileiros. E não serão as lamentações do príncipe dos sociólogos brasileiros que irão reverter isso.



O livro Geopolítica Contemporânea: Desconstrução de Narrativas da Esquerda Globalista, de autoria do editor do Crítica Nacional pode ser adquirido nesse link aqui  com desconto.



 

2 comentários sobre “Fernando Henrique Cardoso & a Onda de Direita

  1. A esquerda dominou os meios de comunicação e a grande maioria das instituições representativas, mas não consegue fazer isso com a Internet, que está dando voz ao povo contra a hegemonia socialista.

    O contra-ataque está apenas começando e, como conhecedores das táticas esquerdistas, sabemos que as batalhas em breve verterão sangue e ameças não faltam. Essa semana, foi distribuído em Macaé/RJ um panfleto com ameaças veladas aos trabalhadores da Petrobras que não obedecerem às ordens da Federação Única dos Petroleiros – filiada à CUT – dizendo que teríamos o destino dos guardas dos campos de concentração nazistas se não estivéssemos do lado deles…

    Curtir

Comentário ao artigo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s