Venezuela: A Resistência Popular Persiste


por Carla Bavaresco

Após a manifestação pacífica do dia primeiro de setembro, batizada de Toma de Caracas, que reuniu mais de um milhão de venezuelanos pedindo para que o Conselho Nacional Eleitoral se decida a realizar logo o referendo revogatório do mandato de Nicolas Maduro, a Venezuela começou a borbulha. Apesar de alguns confrontos com a polícia e a proibição de entrada de jornalistas franceses, colombianos e argentinos no país para a cobertura do protesto, a megamanifestação foi vista com otimismo pelos líderes opositores, pois levou esperança e renovou as forças do povo. Tanto é assim que já chegam notícias de protestos de venezuelanos residentes em outros países: ocorreram manifestações na Itália, Suíça, Chile, Colômbia e Canadá. Parece que os venezuelanos estão, finalmente, percebendo a força que têm, dentro e fora do país.

E uma demonstração dessa força pôde ser vista um dia depois da manifestação na capital. O ditador Nicolas Maduro foi visitar a localidade de Villa Rosa (antes considerada uma comunidade chavista) para “inaugurar” moradias que apenas foram recauchutadas. Durante a transmissão do evento em rádio e televisão, os moradores da pequena região fizeram um cacerolazo histórico mostrando seu descontentamento. A noite veio a repressão: opositores foram agredidos e não menos de trinta pessoas de Villa Rosa foram detidas por vaiar o ditador.

Na sexta-feira, esta humilde comunidade amanheceu silenciosa: comércio fechado, poucos carros circulando, medo no ar. “Não houve piedade. Foi uma longa noite”, disse um morador ao canal NTN24. Para culminar, a Guardia Presidencial recolheu as armas com as quais a população mostrou sua repulsa ao governo: as panelas. Na noite da mesma sexta-feira a população reagiu, promovendo um novo cacerolazo em todo país, como protesto à censura violenta e apoio aos corajosos moradores de Villa Rosa. ¡Fuerza, Venezuela!

Carla Bavaresco é brasileira, professora e preocupada com o momento histórico do Brasil e seus países vizinhos.



O Selo Editorial Armada está promovendo a mais arrojada campanha de crowdfunding do mercado editorial brasileiro do momento, destinada ao lançamento de seis títulos nas áreas de política, história e filosofia. O primeiro título será Geopolítica Contemporânea: Desconstrução de Narrativas da Esquerda Globalista, de autoria do editor do Crítica Nacional. Acesse esse link aqui para fazer sua aquisição antecipada com desconto.



 

Um comentário sobre “Venezuela: A Resistência Popular Persiste

Comentário ao artigo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s