Atentado Muçulmano na França: A Negação da Realidade

O islã sempre esteve em guerra com o mundo ocidental desde a sua origem. Uma guerra que nunca deixou de existir não por razões religiosas, mas por razões civilizacionais: o islã não é uma religião no sentido habitual, mas um conceito de civilização. Um conceito segundo o qual nenhuma outra civilização, exceto a civilização islâmica, tem o direito de existir na face da terra. E as que insistem em continuar existindo com seus valores e crenças e modo de vida, como por exemplo a civilização ocidental, devem ser destruídas e subjugadas pelo islã.

É essa a essência da visão de mundo do islã. Uma visão nascida com seu fundador, o pedófilo Maomé, e que persiste até hoje e que foi acentuada a partir do início do século passado com a aproximação cada vez maior entre pensadores muçulmanos como Said Qtub e a esquerda marxista internacional. Uma aproximação que consubstanciou-se na Irmandade Muçulmana, uma autêntica Internacional do Islã que é também o hub ou a central das principais organizações terroristas muçulmanas mundo a fora, sendo uma delas nada menos que o Estado Islâmico.

A guerra permanente do islã contra nossa civilização é enormemente facilitada por conta da aliança de natureza umbilical e simbiótica que existe entre o islã e a esquerda globalista internacional que exerce o poder na maioria das democracias ocidentais. Uma aliança tão sólida e firme que leva até mesmo as feministas, as meretrizes baratas dessa mesma esquerda globalista, a ficarem caladas ante um dos traços característicos do islã: a violência sexual rotineira contra mulheres, muçulmanas ou não. Por meio dessa aliança, a esquerda globalista abre as portas dos países do ocidente para a invasão islâmica, ao mesmo tempo em que protege o islã por meio de instrumentos de guerra política e engenharia social. E um desses instrumentos é justamente a negação de que existe uma guerra do islã contra o ocidente.

Assim, enquanto terroristas muçulmanos promovem ataques terroristas e outras ações de enfrentamento à civilização ocidental, a esquerda se preocupa em fazer a negação da realidade, negando que tal guerra existe para desta forma facilitar a vitória futura de seu aliado, o islã. Uma vitória que será também uma vitória da esquerda, pois esta possui com o islã um inimigo comum a quem deseja destruir: civilização ocidental.


Anúncio_C2

Um comentário sobre “Atentado Muçulmano na França: A Negação da Realidade

  1. Pingback: Atentado Muçulmano na França: A Negação da Realidade – Terça Livre

Comentário ao artigo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s