Renúncia de Eduardo Cunha: Vitória da Esquerda

A renúncia de Eduardo Cunha da chefia do legislativo consolida o sucesso da maior e mais bem articulada operação de destruição de reputação que toda a esquerda brasileira já patrocinou nos últimos anos. Partidos de esquerda, toda a imprensa sem exceção, todo o meio acadêmico e artístico, além de instituições de estado aparelhadas para atuar a serviço de uma agenda ideológica e não para cumprir suas atribuições constitucionais, como a Procuradoria Geral da República, bem como vastos segmentos do campo antipetista, embarcaram nesaa campanha. Uma campanha política talhada sob medida para destruir e liquidar politicamente com o único opositor de peso que o projeto criminoso de poder representado pelo petismo encontrou ao longo de treze anos.

A campanha de destruição de reputação adquiriu novas feições desde a aprovação do impeachment, quando se começou a plantar a versão fantasiosa de que Eduardo Cunha, mesmo afastado inconstitucionalmente pela suprema corte de suas funções no legislativo, representaria um óbice ou um elemento que atrapalharia o governo Michel Temer. Oras, os militantes de redação de jornal travestidos de analistas políticos que vendem essa versão rigorosamente mentirosa, são os mesmos que plantam e repercutem certos desdobramentos das operações de investigação da Lava Jato que estão visivelmente orientadas politicamente para desestabilizar o governo de Michel Temer, para fins de cumprir o objetivo central da esquerda brasileira hoje: aniquilar a direita com ajuda de um judiciário bolivariano, inviabilizar o novo governo e forçar a convocação de novas eleições.

Uma leitura mais atenta da ambiguidade dessas análises feitas por uma imprensa a serviço de um projeto ideológico de esquerda, como O Antagonista por exemplo, mostra que esse argumento supostamente benevolente com o novo governo para justificar mais um capítulo da campanha promovida contra o agora ex-presidente do legislativo não passa de uma afetação e de puro exercício de cinismo. Esse portal Crítica Nacional já se manifestou inúmeras vezes sobre o entendimento que temos a respeito papel desempenhado por Eduardo Cunha no enfrentamento à agenda ideológica de esquerda que o petismo quis impor à força ao país. Também já dissemos que o bordão infantiloide expresso pela frase não tenho bandido de estimação não passa de refúgio de sacripantas e de incautos que acreditam poder substituir análise política por clichês e frases feitas.

Se Eduardo Cunha de fato cometeu os crimes de que é acusado, ele deve responder por tais crimes na forma da lei dentro do devido processo legal. Mas ocorre que o ex-chefe do legislativo não foi nem está submetido a um devido processo legal, mas sim sendo alvo de medidas de exceção que ferem claramente o texto constitucional. Medidas essas tomadas pela suprema corte que vem atuando como tribunal de exceção, como ocorreu com Jair Bolsonaro, com o objetivo único de cumprir com a agenda ideológica de esquerda. A solução política escolhida por Eduardo Cunha e seus aliados de renunciar à chefia do legislativo representa, portanto, uma vitória política da esquerda. Resta saber quais serão seus desdobramentos institucionais, com a escolha do novo presidente do parlamento.

De qualquer modo, o que se pode afirmar com absoluta certeza é que essa renúncia, ao contrário da versão mentirosa e cínica propalada por toda a imprensa, não irá necessariamente beneficiar o governo de Michel Temer. Mesmo porque, tudo o que essa mesma imprensa quer e espera é que o governo de Michel Temer se inviabilize para criar as condições para a realização de novas eleições, exatamente como a esquerda espera e deseja. Vivemos no país um momento singular, em que a análise política é substituída pelo cinismo e pelo mau-caratismo puro e simples de uma imprensa que não tem compromisso algum com a verdade ou com a honestidade intelectual por estar ideologicamente e economicamente comprometida com um projeto de poder de esquerda hegemônico e autoritário e antidemocrático.


 

3 comentários sobre “Renúncia de Eduardo Cunha: Vitória da Esquerda

  1. Esse país tá de ponta cabeça, não entendo mais nada, que o STF e a grande maioria dos políticos não vale nada nós sabemos, poxa, mas ter que ficar defendendo bandido é dose, ninguém na mídia tradicional e nem na internet defende a intervenção constitucional, até o prof. Olavo é contra, não dá pra entender, querem o quê? que o povo invada o congresso e o STF e derrame sangue? o que o povo pode fazer já fez e nada acontece, absurdo é ficar esperando alguma coisa de instituições falidas é tica e moralmente, como mudar alguma coisa a partir desses juízes e desses congressistas? é duro a gente ler opiniões de pessoas que estão em outro país livres das consequências das aberrações cometidas aqui e defendendo a tal “normalidade democrática” que não existe no Brasil hoje, os legalistas e progressistas como Reinaldo Azevedo e Antagonistas e os meios e comunicação em geral rotulam tudo que se refere a intervenção, é obscurantismo, radicalismo, extrema direita, retrocesso, os que não são legalistas como o prof. Olavo e o critica nacional também não querem intervenção, mas também não dizem o querem e muito menos como fazer, quer dizer tudo acaba caindo nas costas do povo, o povo tem que fazer isso, tem que fazer aquilo, tem que fazer aquilo outro, todos sabem que conservador tem mais o que fazer durante a semana, milhões de pessoas saem para trabalhar e milhões saem para procurar emprego, milhões foram às ruas em domingo sem um vidro quebrado sequer, sem nenhum patrimônio publico ou privado danificado e nada aconteceu até agora, e ainda ficam o povo é isso, o povo é aquilo, Eduardo Cunha não foi responsável por impeachment coisa nenhuma ele tinha um monte de pedidos lá e não fazia nada, só foi a frente quando o PT lhe virou as costas, caso contrário ele ainda estaria na presidência da câmara e a Dilma no poder.

    Curtir

  2. Paulo, se me permitir, assino contigo.
    Hoje conheci o blog e gostei muito. O link pra cá veio do http://www.bolhabrasil.org, (se vc não .gostar pode apagar, a intenção era entar em contato contigo), mas o pessoal de lá vem há anos criticando a situação economica e politica do país. é um blog mais liberal, dissidente de outro que também era mais sério e focado no assunto bolha imobiliaria, mas eles tem dado uma força geral no combate a esquerda.
    Não tenho fb, não tenho twiter, então, me perdoe se utilizo esse espaço pra chamar a sua atenção, falta um link de contato, embora entenda que é muito dificil pra administrar blog.
    De qq forma vai a dica – entre em contato com o pessoal de lá para unirem forças.

    Da minha parte, vou acompanhar antes de me tornar assinante, mas hoje gostei e muito.

    Ah sim- veja o esquema do blog que passei, não é fórum e o pessoal realmente participa.

    Curtir

  3. Pingback: Provável Cassação de Eduardo Cunha: Vitória da Esquerda & Ativismo Judiciário | Crítica Nacional

Comentário ao artigo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s