A Lava Jato É Irreversível

Salvo evidência em contrário propiciada por fatos concretos, entendemos que a Operação Lava Jato não será “esfriada” por conta da aprovação do impeachment, como disse agora à tarde O Antagonista em uma nota. Esse raciocínio não faz sentido, pois a conclusão lógica que se tiraria dele é que seria melhor então não haver impeachment para que a Lava Jato fosse às últimas consequências, o que seria um evidente non-sense. O risco real que a Lava Jato corria e de fato correu foi justamente sob o governo petista, onde todos os esforços foram feitos no sentido de interferir nas investigações da operação. Esforços esses que incluíram ação direta de ministros e do próprio Lula.

O fato é que a Lava Jato adquiriu vida própria e se tornou um dado inescapável da realidade política brasileira. Ainda que seus desdobramentos atinjam peemedebistas, o que seguramente irá ocorrer, acreditamos que o novo ambiente político trazido pela derrota do ex-governo petista enseja menos riscos de comprometimento da operação, uma vez que essa derrota do petismo se deu também, embora não só, justamente em virtude dos elementos que são objeto das investigações: a prática de corrupção generalizada na esfera pública e que foi alçada à condição de método preferencial de se fazer política na era petista.

Isso não significa obviamente que a sociedade civil organizada deva baixar a guarda. Pelo contrário, o apoio e o acompanhamento permanente da Lava Jato estão entre as prioridades no embate político que se segue na era pós-impeachment, pois os desdobramentos da operação podem ir muito além de até onde o impeachment poderia chegar: trata-se de desnudar a maneira pela qual a classe política na sua quase totalidade, com poucas exceções individuais, se vale de métodos ilegais para, independentemente do partido que exerça formalmente a presidência, se perpetuar em um esquema de poder em que o estado e as instituições estão colocados a seu serviço às custas da sociedade.

De resto, é preciso saber dar o devido tratamento aos áudios que estão sendo divulgados envolvendo figuras de peso da classe política confabulando intenções de interferir na Lava Jato. É evidente que do ponto de vista do embate político mais amplo, essas revelações devem ser muito bem exploradas ao máximo possível. Mas analistas e atores políticos não podem se dar ao luxo de ficar surpresos com essas revelações, pois tal surpresa revelaria um desconhecimento da natureza da classe política brasileira, como apontamos em artigo anterior.

Da mesma forma, é preciso dimensionar essas revelações, que simplesmente revelam o que qualquer analista bem informado já sabe, em termos de seus riscos potenciais reais à Lava Jato. Pois uma coisa são as bravatas e os blefes de um diálogo gravado entre dois bandidos da classe política. Outra bem distinta é saber o quanto determinado diálogo revela mais do que apenas intenções e blefes recíprocos, e sim algum esquema efetivo e concreto de interferência na operação.

Distinguir entre o blefe e uma ameaça real identificável é obrigação do analista. Até por que, não podemos esquecer que o blefe faz parte da política, ainda que não devesse. E ninguém mostrou isso com mais clareza do que o próprio petismo, que blefou com todo tipo de ameaça à sociedade civil e à própria segurança e soberania do país em caso de aprovação do impeachment. Mas o que assistimos ao final, quando o petismo foi efetivamente apeado do poder, foi uma ameaça tão assustadora quanto a de um rato que ruge.


 

4 comentários sobre “A Lava Jato É Irreversível

  1. É preciso prudência ao julgar o que esta se passando.
    Vejamos:
    – Julio Camargo havia prestadop depoimentos e fez delações sem mencionar Cunha. Tão logo Janot tomou para si os depoimentos de Julio Camargo, este violou suas delações originais e apontou que Cunha havia pedido $5 milhões, mas não foi Julio que lhe forneceu diretamente. Ou seja, uma delação facilmente falsificável para ACUSAR CULHA A MANDO de JANOT. Afinal, Cunha se opôs abertamente contra o governo petista de Dilma. Claro que Cunha certamente é corrupto, mas essa delação soou coisa encomendada por JANOT que denunciou Cunha juntam,ente com Renan e quando renan se aliou abertamente ao petismo e Dilma, simplesmente JANOT “esqueceu” RENAN e soltou suas baterias em Cunha e COLLOR. O mesmo JANOT “esqueceu” Collor tão logo seu primo, Marco Auréli Melle, se bandeou vergonhosamente para a defesa descarada do petismo.

    Ou seja, JANOT é como um “CÃO AMEAÇADOR” que se lança contra adversários do petismo. Certamente JANOT CHANTAGEOU RENAN e CUNHA, porém Cunha não cedeu, mas Renan sim. Daí que Renan foi poupado por Janot e Zavascki.

    Possivelmente Janot chantageou Julio Camargo para que acusasse Cunha e sem mais do que aklegar, Janot se baseou em meras suposições para acusar Cunha fazendo volume no processo, embora com muit5as acusações invocando suspeitas sobre o que Cunha colocou em votação. Ou seja, suposições absolutamente idiotas como indicios ou provas de delitos. Ficando visível que Janot FORÇOU a BARRA nas acusações contra Cunha. Ou seja, talvez Cunha seja esperto para não se deixar pegar e Janot teve que INVENTAR.
    O mesmo se pode perceber com a aberrante atuação de Zavascki que VIOLOU a CONSTITUIÇÃO assumidamente. Fazendo-o para que “cassar” Cunha e impedir que com Dilma afastada o Poder de Cunha se fortalecesse contra o petismo. Teori Zavascki fez um vergonhoso e escancarado papel de JANGUNÇO do PT e cassou Cunha por temor de que seu Poder crescesse com afastamento de Dilma.

    Agora Janot aparece com uma delação ONDE PETISTAS NÃO SÃO APONTADOS e com isso mostra SEU PODER DE BARGANHA NA CHANTAGEM.
    Romero Jucá há muito foi delatado, mas enquanto estava alinhado na defesa do petismo JANOT NÃO o INCOMODOU. Porém, bastou Jucá se opor ao petismo e JANOT, na sequência, SURGIU COM DENUNCIAS CONTRA JUCÁ.

    Esta evidente que o STF e o PGR estão se prtando como CÃES AMEAÇADORES contra os DESAFETOS do PT. Algo pra lá de escancarado e portanto não se tem que ficar muito feliz com essa podridão da PGR e do STF que em NADA DIFEREM do comportamento dos políticos, sendo na verdade aliados do que de mais IMUNDO aconteceu a este brasil mal cheiroso e coberto por suas instituições e meretíssimos mais cpropriamente PROSTITUIÇÕES e MERETRÍSSIMOS.

    Curtir

  2. Pingback: As Delações Suspeitas de Sérgio Machado | Crítica Nacional

Comentário ao artigo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s