Editorial Enganoso da Folha de São Paulo Favorece Marina e PT e a Esquerda

032

 

Em editorial desse sábado, a Folha de São Paulo afirma apoiar o afastamento de Dilma e de Temer, e a convocação de novas eleições num prazo de noventa dias. O editorial afirma que Dilma não tem mais condições de governar, coisa que já sabemos faz tempo. Reconhece que as manifestações pelo impeachment foram as maiores da história do país, a despeito do próprio jornal ter mentido descaradamente a seus leitores na cobertura das mesmas para proteger o governo que ele agora afirma querer que chegue ao fim.

Não  podemos nos iludir com esse canto de sereia de um veículo alinhado com a agenda esquerdista, cuja redação é toda ela formada por comunistas sêniores da velha guarda ou por comunistinhas novos moderninhos saídos dos centros de doutrinação ideológica que são os cursos de jornalismo e de humanas das universidades públicas. O editorial da Folha de São Paulo reflete apenas a estratégia realista que a esquerda brasileira e o Foro de São Paulo irão adotar daqui para frente. Essa esquerda, a começar pelos mandachuvas e capos petistas, sabe que o governo Dilma acabou, e que os latidos e relinchos a respeito de golpe servem apenas para consumo interno e para manter suas milícias e seus mortadelos em atividade.   

Essa mesma esquerda sabe também que a direita e os conservadores estão em ascensão, apesar de não existir um partido político de perfil conservador de direita mais bem definido no país: o que temos são alguns poucos políticos de direita em alguns partidos, e esses políticos são hoje as figuras públicas mais aclamadas e mais respeitadas pela população, a começar por Jair Bolsonaro, secundado pela figura inegavelmente respeitável de Ronaldo Caiado. A única maneira de barrar essa ascensão é por meio de um fato concreto que impossibilite ou dificulte a direita de se apresentar como alternativa real de poder. E esse fato seria justamente a convocação de novas eleições esse ano.   

Na hipótese de novas eleições ainda esse ano, os únicos candidatos realmente competitivos seriam Marina Silva e Aécio Neves, mesmo considerando a remotíssima possibilidade de Lula também disputa-las. Marina reuniria em torno de si toda a esquerda incluindo os petistas que sobrarem e que não forem presos. Aécio representará o que os tucanos sempre representaram: a mesma esquerda socialdemocrata que durante treze anos foi fiadora e avalista do projeto de poder do petismo por conta de afinidade ideológica, e que em nome dessa afinidade atuou como oposição frouxa confiável ao petismo, impedindo a formação de uma oposição real à direita.

000 Anuncio Template

Uma eventual chapa com Bolsonaro para presidente e Caiado para vice, que ao nosso ver seria o desenho político ideal, teria um enorme e gigantesco apelo junto a parcelas expressivas da população numa disputa eleitoral ainda esse ano. Mas esbarraria hoje em dificuldades materiais como tempo de televisão, recursos e principalmente a ausência de uma estrutura partidária com a capilaridade nacional necessária para uma disputa presidencial. E as cabeças pensantes da esquerda também sabem disso.

Portanto, a nosso ver qualquer proposta de eleição agora sob o pretexto de zerar o jogo político deve ser rechaçada, até por ferir o que determina a Constituição, que trata do assunto nos Artigos 79 a 83: em caso de afastamento ou renúncia da presidente, quem assume é o vice, que cumprirá seu mandato até o final. Novas eleições, diretas ou indiretas, somente no caso de vacância de ambos os cargos de presidente e de vice. Entendemos que Michel Temer deve assumir para conduzir um governo de transição pactuado politicamente com o Congresso Nacional e que permita ao país sair do impasse institucional e da crise econômica resultantes dos anos de petismo.   

A disputa eleitoral efetiva deverá se dar em 2018, quando o cenário político será bem distinto: o PT terá sido possivelmente extinto e Lula já terá virado um espantalho que não amedrontará mais ninguem. Nesse cenário de relativa normalidade institucional, a direita e os conservadores estarão em condições estruturais mais favoráveis para se apresentar pela primeira vez em décadas como real alternativa de poder no país.


O Jornal Crítica Nacional depende somente de seus leitores para se manter
Colabore e clique aqui para fazer uma assinatura de contribuição para o jornal

6 comentários sobre “Editorial Enganoso da Folha de São Paulo Favorece Marina e PT e a Esquerda

  1. Pingback: Cuidado com a Desinformação! | Crítica Nacional

  2. Pingback: A realidade do impeachment e o golpe das novas eleições | Crítica Nacional

  3. Pingback: Datafolha: como fraudar usando o rigor e o método | Crítica Nacional

  4. Pingback: As novas eleições e o delírio político da esquerda que não assimila a derrota | Crítica Nacional

Comentário ao artigo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s