Atentados Muçulmanos na Bélgica Expõem a Real Natureza da União Europeia

018

Os atentados terroristas muçulmanos que ceifaram a vida de dezenas de civis inocentes e deixaram mais de duas centenas de feridos na capital belga esta semana não foram atos isolados de uma suposta minoria radical muçulmana. Esses atos de terror são a continuidade da guerra declarada que o mundo muçulmano trava contra a civilização ocidental há séculos e que nunca cessou de existir. Uma guerra que começou a adquirir novas feições após a derrocada do Império Otomano ainda ao final da Primeira Guerra, e que ganhou seus contornos definitivos após a Segunda Guerra Mundial, quando a esquerda marxista europeia encontrou na ideologia político-religiosa do islã o seu aliado preferencial para levar adiante seu projeto de hegemonia.

Nessa guerra de civilizações, a União Europeia surge como o principal instrumento facilitador da agressão muçulmana ao continente europeu. Criada como projeto ambicioso da esquerda marxista europeia para uniformizar a implementação de um lento e gradual apagamento dos fundamentos da civilização ocidental no berço em que ela efetivamente surgiu, e possibilitar que a invasão muçulmana ocorra sem encontrar resistência, a União Europeia é hoje a principal responsável pela imposição a seus estados membros de determinadas políticas públicas esquerdistas e pró-muçulmanas que estão resultando no verdadeiro suicídio civilizacional do continente europeu.
A Europa Ocidental é hoje vítima de atentados terroristas muçulmanos, assim como suas mulheres são vitimas de incontáveis crimes de violência sexual praticados quase que diariamente pelos muçulmanos, porque as políticas públicas adotadas e impostas pela União Europeia criaram as condições propícias para tal. Políticas essas baseadas na falácia do multiculturalismo, que levou o continente a abrir suas fronteiras para o influxo indiscriminado de muçulmanos, que entram nos países europeus ocidentais não para se integrarem à sociedade que os recebe e absorver e enriquecer sua cultura por meio da chamada diversidade, como afirmam os teóricos esquerdistas do multiculturalismo. Pois a história mostra que o islã nunca se propôs a se integrar à cultura ocidental, mas sim a destrui-la, como manda seu alcorão.

000 Anuncio Template

O multiculturalismo, juntamente com a polícia de pensamento cerceadora da liberdade de expressão representada pela ideologia do politicamente correto, representou e representa o Cavalo de Troia mental que a esquerda implantou na sociedade europeia para calar e inibir, pela persuasão ideológica e muitas vezes pela força da lei, toda e qualquer contestação às políticas imigratórias suicidas adotadas pela União Europeia e impostas à força aos seus estados membros. O resultado dessas políticas é que o continente vive hoje efetivamente uma invasão muçulmana, enquanto sua população é virtualmente impedida pelos governantes de se manifestar e de se defender, sob o risco de ser acusada de racismo e xenofobia e até mesmo de neonazismo.

Os atentados terroristas são as expressões mais extremadas de violência de um processo muito mais intenso e quase irreversível de solapamento da sociedade europeia. Um solapamento que se dá por meio da entrada em massa de imigrantes, pela recomposição demográfica e a formação de centenas de verdadeiros enclaves muçulmanos semiautônomos em diversas cidades do continente, como em Malmö na Suécia, em vários bairros de Londres ou Paris ou no distrito de Molenbeek em Bruxelas. Todos eles locais em que na prática vigora a sharia, a lei islâmica, e onde a autoridade dos estados nacionais praticamente não existe. É nesses locais que lideranças religiosas e políticas muçulmanas disseminam sua pregação de ódio ao Ocidente e estimula a violência. É também nesses locais que milhares de muçulmanos de nacionalidade europeia, descendentes de segunda ou terceira geração de imigrantes, saem em direção ao Estado Islâmico na Síria ou Iraque, onde recebem treinamento em terrorismo e retornam aos enclaves autônomos de seus países de origem para dar continuidade à missão de destruição do ocidente.
Abordar o problema do terrorismo islâmico como uma questão de “falha na segurança interna”, como fazem alguns analistas, serve apenas para criar uma cortina de fumaça, que irá ocultar a real natureza do que se passa no velho mundo: o continente está sendo atacado e invadida há anos, por que isso faz parte do projeto político da esquerda que exerce o poder político por meio da União Europeia. E o fato de os atentados muçulmanos dessa semana terem ocorridos em Bruxelas, a capital oficial da União Europeia, é emblemático: os locais em que ocorreram as explosões ficam a poucos quarteirões da sede do Parlamento Europeu e do Quartel General da OTAN. É emblemático também que a sede da União Europeia esteja numa cidade em que um quarto da população é muçulmana e vive em bairros onde a única lei que vigora é a sharia, e em um país em que mais da metade das crianças matriculadas em escolas públicas sejam de famílias muçulmanas.
Os atentados muçulmanos dessa semana em Bruxelas não foram os últimos. Outros se seguirão, não importa que medidas de segurança venham a ser tomadas. Pois o terrorismo na Europa não é um problema de segurança interna, mas sim uma consequência esperada de uma política deliberada implementada pela esquerda através da União Europeia e que, em nome do multiculturalismo e do politicamente correto, colocou a civilização ocidental de joelhos ante a ideologia supremacista do islã. Os europeus somente conseguirão evitar que sua cultura e sua civilização, da qual somos herdeiros, sejam dizimadas quando compreenderem que o inimigo está dentro de casa. Esse inimigo se chama esquerda marxista e seu principal instrumento é a União Europeia, que terá que ser extinta para que os estados nacionais recuperem sua soberania plena para se defenderem da jihad islâmica e para preservar sua civilização.

O Jornal Crítica Nacional depende somente de seus leitores para se manter
Colabore e clique aqui para fazer uma assinatura de contribuição para o jornal

11 comentários sobre “Atentados Muçulmanos na Bélgica Expõem a Real Natureza da União Europeia

  1. Uma coisa que eu ainda não consegui entender sobre o casamento comunismo e islamismo é o seguinte: supondo que o islã consiga ser a religião dominadora do mundo, como os comunistas terão na rédea esse povo, uma vez que comunistas são, em sua essência, ateus?

    Curtir

    • Esse tema é complexo, Jose Henrique. Na proxima semana vou publicar um ensaio sobre isso. Mas lhe adianto que, segundo a minha visao, a questao da crença de ser ou nao ateu, é irrelevante para a esquerda. A real vocaçao da esquerda é criar uma ditadura. Assim como o islã.

      Curtir

  2. Nunca ouvi tanta besteira na minha vida!!!! Mais desinformação irresponsável e criminosa! Os países árabes e norte da Africa foram quintal dos ingleses e frances por muitos anos. Este países europoeus dividiram e criaram os países que hoje conhecemos como Iran, Iraque, etc etc sempre criando fronterias usando marcas geográficas como, por exemplo, rios ou montanhas sem levar em condição raça ou divisões tribais. A Inglaterra colocou no poder destes países marionetes como o Chá do Iran. Tudo foi feito para continuar controlando as reservas petrolíferas destes países. Foi com a revolução do Iran que o árabes acordaram para a possibilidade de usar a religião muçulmana como instrumento de mudança politica e social. Não tem nada mais forte do que a fé religiosa para motivar a massa humana! Se não bastasse isto, depois da II Guerra Mundial a Inglaterra foi instrumental na criação, à custa do estado Palestino criando milhões de refugiados, o Estado de Israel. Isto criou,nesta região uma tensão e desequilibrio terrivel até hoje não corrigido. É sonho de muitos árabes unificar os países árabes e retorna-los à distribuição regional pré colonialismo inglês e francês. A invasão do Iraque, com falsos pretensos, e principalmente o desmantelamento do exército Iraquiano foi uma grande estupidez porque estes soldados bem treinados sem emprego migraram para o outro lado! Por outro lado, a destruição Líbia apenas serviu para criar mais um campo de treinamento. Os Norte Americanos até agora só agiram irresponsavelmente. Foram eles que deram armas e treinaram o Bin Laden para lutar contra os Russos no Afaganistão. A Europa está em perigo não por causa de esquedistas, aliás a Europa infelizmente nunca esteve tão voltada para a direita. A Europa está sofrendo justamente por fazer o trabalho sujo dos Norte Americanos! A situação dos Europeus é realmente difícil porque depende do gas da Russia e desde a II Guerra Mundial se sente em dívida com os Norte Americanos… Qualquer um que vir com esta história de querer associar a esquerda com terrorismo muculmando é um capitalista nogento golpista! Eu vivo na Inglaterra onde existem milhões de muculmanos! Na França existem milhões de muçulmanos! Sabem porque! Porque estes países invadiram e saquearam os seus países árabes ou pior, eles era coniventes com os dominadores europeus e tiveram que sair dos seus países que eles foram liberados pelo povo árabe! É a lei do Karma! Parem de intervir nestes países e tudo se acalmará! Todo mundo sabe que a única razão destes conflitos é controlar todas as reservas de petróleo do mundo, assim como garantir o Estado de Israel. A Venezuela e o Brasil que se cuidem porque depois da dominação dos países árabes será a nossa vez de levar chumbo ou vocês são tão inocentes de não perceberem que eles estão também de olho no nosso petróleo!

    Curtir

    • Voce deveria ler menos Eduardo Galeano e menos Saiyd Qtub e menos NY TImes e CNN e procurar fontes mais fidedignas. Esse seu discurso terceiro-mundista e essencialmente vitimista é a coisa mais caricata que a esquerda ja produziu e nao corresponde em nada à realidade.

      Curtir

    • Bom texto Paulo Eneas ! Uma visao bem atual e clara do que está ocorrendo. É uma pena que poucos a compartilhhem. É uma questao de tempo. A defasagem das idéias discutidas nos hemisférios norte e sul, segundo alguns, era de uns 30 anos em títulos de livros. O que vemos no caso da Uniao Euroéia , é a uniao de interesses entre dois, dos 3 ou 4, projetos globais distintos, cujo único obetivo comum é a derrocada do Ocidente. Depois, eles dividem o espólio, ou lutam entre si. Você sabia que o própio Galeano se retratou por ter escrito Veias Abertas da América Latina ?

      Curtir

    • Agora, esquerdista usa esotérismo pra explicar o que não sabe. Quanto desespero. Aqui, leia e aproveite.

      “Talvez o seu professor de história tenha ensinado a você que o legado do colonialismo explica a pobreza do Terceiro Mundo. Lamento, mas você foi enganado. O Canadá foi uma colônia. Austrália, Nova Zelândia e Hong Kong também foram colônias. Aliás, o país mais rico do mundo, os Estados Unidos, também foi colônia. Por outro lado, Etiópia, Libéria, Tibete, Nepal e Butão jamais foram colônias, mas hoje abrigam as pessoas mais pobres do mundo”. Walter Williams

      Curtir

  3. Se a experiência comunista cometeu mutos erros e alguns reconhecidamente serissimos, os países capitalistas, pela própria natureza do capital, exploraram absurdamente a classe trabalhadora onde o trabalhador era obrigado a trabalhar mais de 12 horas por dias 6 dias por semana em insalubre condições e sem nenhuma segurança. Sem direito a férias. Sem médico, aposentadoria e nenhuma lei para protege-lo contra os abusos dos patrões. Com o Comunismo que chegou dominar grande parte do mundo e o slogam Marxista “Trabalhadores dp mundo uni-vos” a Europa tomou nota e logo depois da II Guerra Mundial a Inglaterra elegeu o seu partido trabalhado (Labor) que criou tudo o que o Brasil adotou. Quer dizer, sem União Soviética nós no Brasil ainda estariamos sofrendo nas mãos dos Patrões! Não me venha dizer que existe algo errado em querer uma melhor distribuição da renda e da terra! Sou contra a corrupção em qualquer partido mas, generalizar qualquer tentativa de um governo voltado ao social é simplesmente incorreto! O free market foi responsável pela corrupção dos bancos que deixou desempregado milhões de pessoas! Isto vocês não lembram! Vocês sofrem de memória seletiva? Para com isto!!!

    Curtir

    • Voce deveria rever suas fontes de história e de economia, só isso. Seu texto é um amontoado de falácias que a esquerda repete ha algumas decadas. A unica coisa que o comunismo trouxe foi ditaduras e genocídios, além de miséria extrema e fome. Toda política de “distribuição de riqueza” resulta em fracasso, pois parte de pressupostos errados tanto na ciencia economica quanto na historia. O free market tem inumeras imperfeições, mas nenhuma que justifique ingerencia estatal. Seu discurso nao resiste a dez minutos de debate com quem conhece o be-a-ba de economia e historia.

      Curtir

  4. Parabéns pelo perfeito ponto de vista Paulo. É a análise e síntese mais lúcida sobre a expansão do Islã na Europa. E os europeus vão se arrepender amargamente daqui a algumas décadas por estarem deixando que esta cobra se multiplique pela imigração e a taxa de natalidade bem maior da população muçulmana. Eles não poderão ter mais o estilo de vida da sua própria cultura e viverão como estrangeiros em sua própria terra. E o pior é que nem mesmo abordar esse assunto é mais possível sem que o politicamente correto, os políticos, a esquerda e a imprensa produzam ataques sob o argumento da xenofobia, populismo, neonazismo, etc. Incrível a que situação se está chegando. A ideologia de esquerda deixou as pessoas dementes. Errar é humano, mas permanecer no erro não é.

    Curtir

Comentário ao artigo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s