O porquê do estado de coisas que estamos vivendo no cenário político nacional

010

O petismo e os petistas nunca tiveram qualquer compromisso com a democracia e com normalidade institucional, pois são herdeiros e continuadores do que há de pior na tradição da esquerda marxista de extração stalinista e maoísta. Tradição essa que sempre desprezou as instituições republicanas, as leis e os direitos humanos fundamentais, incluindo o direito à vida e à propriedade. O petismo representa exatamente a herança e a continuidade em nosso país de uma ideologia fascista e autoritária que foi a responsável pelos maiores genocídios de toda a história.

A história do petismo no Brasil é uma história de mentira e de dissimulação. Uma mentira que começa com a mitificação em torno da trajetória de seu chefe máximo, o aiatolá de sindicato que fez carreira como informante da polícia política durante o regime militar e que foi urdido à condição de líder sindical pelo então General Golbery do Couto e Silva, o artífice do regime que promoveu a transição para o regime civil que veio a desaguar na chamada Nova República. Esta, por sua vez, sob o pretexto de promover uma agenda social e reparar supostas injustiças históricas, nada mais fez do que pavimentar o caminho para ascensão ao poder dos socialistas e comunistas abrigados no petismo.

O petismo entrou na cena política não para disputar eleições dentro das regras usuais do jogo democrático republicano. Na verdade, o petismo ocupou a cena política nacional para, se valendo das regras da democracia e usando da mentira e da ocultação de suas reais intenções, chegar ao poder e nele permanecer a qualquer custo. O petismo pretende se manter no poder de modo permanente, e fará como já está fazendo tudo o que for preciso para isso. Isso porque a ambição do partido é e sempre foi implantar no país, à revelia da vontade da maioria do brasileiros, um regime de ditadura socialista que espelhe a real vocação ideológica de seus fundadores e dirigentes, que enxergam no modelo cubano o ideal de ditadura perfeita com a qual sempre sonharam.

Todas as ações mais relevantes do petismo ao longo de seus treze anos no poder e que resultaram no estado de coisas que o país vive hoje, como a destruição das bases da estabilidade macroeconômica, a transformação do país num pária e num anão diplomático, a delinquência generalizada no âmbito das instituições para desacredita-las e deslegitima-las, a transformação do país em rota principal de tráfico internacional de drogas e porto seguro para terroristas de todo o mundo, e as tentativas recorrentes de promover uma cisão de caráter étnico ou regional ou socioeconômico entre os brasileiros, não resultaram de erros ou equívocos, como quer crer a pseudo oposição fajuta que temos.

Estas ações e a situação nacional dela decorrentes são na verdade resultado de uma política deliberada e pensada para promover o estrangulamento da sociedade civil e o sufocamento das vozes discordantes, para dessa forma facilitar ao petismo promover o sequestro de todas as esferas e instituições do estado para levar adiante o sua ambição totalitária e hegemônica. E é contra um projeto socialista de natureza criminosa e ditatorial como esse que milhões de brasileiros estão lutando.


O Jornal Crítica Nacional depende somente de seus leitores para se manter
Colabore e clique aqui para fazer uma assinatura de contribuição para o jornal

2 comentários sobre “O porquê do estado de coisas que estamos vivendo no cenário político nacional

Comentário ao artigo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s